Sobre a Raça

Histórico da Raça
O Reverendo Jack Russell (1795-1883) viveu em Darthmouth, Devon, Oeste da Inglaterra. Ele era sacerdote e a maior parte de sua vida serviu na paróquia de Swymbridge. Criador de cavalos e aficcionado por caça, logo se envolveu na seleção e criação de terriers desenvolvendo uma das mais famosas linhas de terriers de caça. Com cores animadas e caráter extravagante logo foram bem conhecidos. Mais tarde, o reverendo Russel tornou-se um dos primeiros membros do recém fundado The Kennel Clube (1873).

Jack Russell comprou seu primeiro terrier em 1819 enquanto estudava em Oxford, uma fêmea Fox Terrier tendo dado o nome Trump, com cores branca e orelhas marrom, uma mancha marrom acima dos olhos. O tamanho do animal medido ate o fim do rabo não era maior de um Inglês da raça penny.

O animal já parecia muito com o padrão do atual Jack Russell. As suas pernas eram retas e com o corpo do tamanho comparável de uma raposa fêmea. Em seguida, realizaram diversos cruzamentos entre diferentes terriers de trabalho de tipos unicolores e multicoloridos. Sua intenção sempre foi a de desenvolver as aptidões para caça sem muita preocupação com a uniformidade do tipo.

Antepassados

A raça original baseia-se no tipo chamado terrier branco que está extinto agora. Muitos caçadores ingleses mantiveram seus terriers juntos com os outros cães de caça na perseguição das raposas.
Quando estavam cercadas, os cães grandes eram retirados e um ajudante com os terriers soltava os pequenos terriers na busca final das raposas,os quais eram mais hábeis para detectar a caça.
Como os terrier tinham que correr com os cães maiores na tarefa dura de trabalho diário, uma resistência boa e tenacidade eram necessárias precisando também uma garra interna para fazer o trabalho. Muitas vezes tinham que cortar caminhos para manterem-se perto dos grandes cães ou ate antecipar onde a caça possivelmente faria o seu curso e eles poderiam realizar seu trabalho.
Logo os cães do reverendo Jack Russell criados no terreno da região foram considerados os mais adequados para os trabalhos de caça sendo procurados por todo mundo.
Com o sucesso nos trabalhos, não demorou muito e esses pequenos terriers de caças criados por ele ficaram com o nome Jack Russell permanente para este tipo de cães, chamados mestres de caça.
Os Jack Russells foram trazidos da Inglaterra para vários paises do mundo e a raça foi aceita oficialmente pelo Kennel Club Inglaterra em volta de 1890. O alvo da popularidade chegou no fim do século IX, mais essa tradição de acasalamento continua ate hoje. Após o fim da II Guerra Mundial, essa raça foi apreciada novamente, cresceu em popularidade inicialmente no continente Europeu, e espalhando para todos os paises do mundo.

Cães Fora de Série

Muitos desconhecem o Jack Russel Terrier robusto e levemente alongado, do atual padrão da FCI (Fédération Cynologique Internationale).
Outros também se surpreenderam com os três tipos de pele:
-lisa, (o mais comum no Brasil e como no Jack Russel do filme MASCARA).
-a áspera.
-pelo quebrado de comprimento intermediário, incomum no Brasil e preferido em países Europeus.
O novo padrão da FCI aceita definitivamente em 2003, determinou o tipo físico de Jack Russel.
Esta diretriz é oposta da criação original da Inglaterra. Seu padrão não e muito restrito, permitindo ampla variação de tipos mais oficialmente adotado em vários países. Assim surgiu o Jack Russel um pouco mais baixo e longo da raça original de Fox Terrier.
É provável que o temperamento caçador do Jack Russel se abrande com o tempo por causa da prioridade dada ao físico mas na atualização, a raça abrange uma energia e motivação não importando a origem.
Adora acompanhar cavaleiros e ficar nas cocheiras, é um exterminador de ratos, além de praticar esporte e adestramento.

Energia e Inteligência

Ele cativa corações com um estilo alegre, afetuoso, leal e ao mesmo tempo, esperto, fortemente decidido e valente, como se tivesse o triplo de tamanho.
Compatibiliza o espírito aventureiro e caçador do Jack Russel com a vida moderna exigindo sociabilizá-lo e educá-lo desde a mais tenra idade. É importante que aprenda a respeitar limites, recebendo treinamento de obediência.
Cuidado com a inteligência deste cão. Aprende rápido.
Para queimar a inesgotável energia do Jack Russel, o que vai ate a idade avançada, não basta levá-lo para caminhar na guia. É preciso que possa correr e ter um objetivo para a ação o deixa muito motivado.
O Jack Russel necessita de companhia. Os exemplares devolvidos, abandonados, deixados sozinhos dentro de casa, ficam infelizes e podem levar o dono ao desespero, assumindo atitudes como uma guarda obsessiva, ficando agressivo, possessivo e exigente demais, pulando por toda a parte ou cavando sem parar, etc.
Jack Russel do mesmo sexo costumam brigar feio. Mas não um macho com uma fêmea (essa e a única recomendação para a raça ter uma companhia canina.
Com gatos ou outros pets, o mais provável é que o Jack Russell ataque algum dia, mesmo quando criado junto desde filhote.
Para quem sabe lidar com o Jack Russell, conviver com ele é muito gratificante trazendo prazer para ele e toda a família.

Jack Russell e as Crianças

Jack Russell não é uma raça ideal como brinquedo ou distração para crianças.
Este tipo de cão não tolera tratamentos violentos.
Se por um acaso sofrerem abusos por uma criança, são inclinados de discipliná-la de uma maneira justa para a ofensa cometida.
Os Jack Russells não aceitam ter as orelhas puxadas ou machucadas de qualquer jeito notando isso como força inaceitável.
O Jack Russel não é adequado para crianças pequenas e indisciplinadas e propõe-se sempre supervisioná-los o tempo todo.
Por outro lado, o Jack Russel pode ser excelente com bebes e jovens

Fonte: The Jack Russell Terrier, Catherine Romaine Brown, livro E.E.U.U.A.A.

www.000webhost.com